Curiosidades Americanasby Paula

19 April 2013Tags:  

Essa semana, um dos top compartilhamentos nas redes sociais foi o bem-humorado texto sobre os hábitos dos brasileiros visto pelo francês, Oliver Teboul, que mora em BH (aqui). Me diverti muito lendo e comecei a pensar nas coisas que me surpreenderam assim que me mudei para os EUA, em 2010, e resolvi entrar na brincadeira.

Só para esclarecer: os pontos levantados a seguir são apenas a minha opinião, baseada em minhas experiências vividas em San Diego, sem a intensão de ofender ninguém. Tenho consciência que muitos dos fatos não se aplicam a todos ou a outras cidades dos EUA.

-   Em San Diego, poucos americanos são loiros, branquelos, de olhos azuis. Poucas, também, são as mulheres com seios grandes,

-   Em San Diego, as pessoas fazem exercícios físicos diariamente, evitam fast food e não são obesas,

-  Em San Diego, as pessoas vão à praia de roupa em qualquer época do ano, inclusive no verão. No inverno, vão de moletom e tênis! Homens não usam sunga. Sunga é  coisa de europeu. As mulheres usam calçolão, mas isso não é  nenhuma novidade. Todos acham que biquini brasileiro é fio dental, ninguém parece entender o conceito do meio termo. Na praia é proibido o consumo de bebida alcoólica, não existem vendedores ambulantes e se você não levar comida de casa vai morrer de fome. São poucos os americanos que conseguem ficar quietos por mais de 5 minutos na praia. Estão sempre inventando o que fazer. A praia é lugar de jogar bola de futebol americano um pro outro, frisby, ferradura de cavalo, bocci ball, etc. A água do mar parece uma piscina de gelo, eu só consigo dar um mergulho 2x por ano, mas as crianças se esbaldam (não sei como não morrem de hipotermia!),

-  Em San Diego, você chega em qualquer lugar em 15 minutos. E se demorar mais do que isso, reclamam do trânsito. Isso é porque eles nunca enfrentaram a ponte Rio-Niterói ou a Avenida Paulista. Isso sim é que é trânsito!

-   Em San Diego, as pessoas respeitam as leis de trânsito. No sinal de “PARE”, elas param mesmo. Nas esquinas, pedestres têm a preferência e eles saem atravessando mesmo, os motoristas tem que estar sempre atentos. No sinal vermelho podemos virar à direita se não tiver vindo carro. As ruas são largas e as pessoas dão distância entre um carro e outro. Os sinais de trânsito tem sensores que fazem o sinal abrir para você imediatamente se não tiver outro carro vindo na direção oposta. Por incrível que pareça, mesmo com tanto respeito com as leis, ninguém usa seta!

-  Em San Diego, todo lugar público tem muitas vagas para deficientes, e nenhum deles fica em casa. São todos muito ativos.

-  Em San Diego, as pessoas não colocam ketchup em pizza, cachorro-quente é pão com salsicha (não tem molho), Mc Donald’s só é frequentado por morador de rua, idosos ou estrangeiros.

- Em San Diego, muitas pessoas são germofóbicas, nunca vi tanta frescura junta. Ninguém divide canudo com ninguém, se você morder a batata frita não pode colocar de novo no molho (double dipping), todo lugar público tem álcool em gel espalhados pra todo lado, eles tossem colocando o cotovelo na frente da boca para não contaminar as mãos, mas por outro lado e apesar de tanto cuidado, comem tudo com as mãos, não usam guardanapo para segurar nada. Aliás, em geral, não se usa porta-guardanapos nas mesas de restaurantes. Mesmo em restaurantes mais simples, você só ganha um de papel para colocar no colo. Se quiser mais, tem que pedir!

-  Em San Diego, ao conhecer alguém eles dão aperto de mão. Ninguém dá 2 beijinhos, mesmo amigos. No máximo um abraço esquisito meio de lado.

-   Em San Diego, quando conhecemos um brasileiro viramos da mesma família.

-  Em San  Diego, Brazilian Waxing (depilação brasileira), significa depilar TUDO, não sobra um fiozinho. Não sei da onde saiu esse nome!

-   Em San Diego, céu azul e sol não são sinônimos de calor. Dizem que aqui tem um dos melhores climas do mundo, mas na verdade é frio pra caramba!

-   Em San Diego, se você perguntar “tudo bem?”, esteja preparado para qualquer resposta. Mesmo se você não conhece bem a pessoa, ela pode responder a verdade, contar sobre o seu dia dela, etc. Os americanos, em geral, são super amigáveis, educados, sorridentes e prestativos. Porém, as amizades são mais superficiais. Tenho vários amigos americanos, mas nenhum deles é amigo, amigo mesmo, igual somos no Brasil. Ninguém aparece na casa do outro sem avisar, tem que marcar um encontro com pelo menos 1 semana de antecedência.

-  Em San Diego, é muito difícil conhecer alguém que tenha nascido em San Diego. A maioria é estrangeiro ou americano que se mudou da costa leste para fugir do frio.

-   Em San Diego, todo restaurante tem que ter prato vegetariano. Mas é impossível encontrar pratos para carnívoros como eu. Todo prato de comida tem que ter alguma salada ou legume. Tenho sempre que mandar tirar alguma coisa! Ainda não descobriram a comida a peso e existe muito desperdício de comida. As mães aqui não falam para os filhos que tem que comer tudo, que não pode deixar sobrar porque tem muita gente com fome no mundo. Se não comer, vai tudo pro lixo mesmo. Pelo menos, é muito comum levar sobra de comida para casa.

-  Em San Diego, tem gente vestida de tudo quanto é jeito que você imaginar. Ninguém critica ou julga ninguém. A moda é livre. Uma coisa muito comum a todos os americanos é o chinelo. Todo mundo sai de chinelo, até mesmo para trabalhar. Ah, e bonés também.

-  Em San Diego, ao contrário do Brasil, serviços são caros e coisas são baratas. Você compra um relógio por uma pechincha, mas para ter faxineira tem que gastar a metade do seu salário! Por isso ninguém tem empregada fixa como no Brasil.

-  Em San Diego, as casas são feitas de madeira, as favelas do Brasil parecem mais resistentes. Para ter uma ideia, você consegue pendurar fotos na parede, usando tachinha (pin)!

-  Em San Diego, se for convidado para um BBQ (churrasco), significa comida feita na churrasqueira, que raramente inclui carne (demorei muito para entender isso!). O mais comum é hamburguer, cachorro quente (sem molho), frango, etc na grelha. Churrasqueira aqui não tem espeto, muito menos motor giratório. Ninguém usa sal grosso em carne. Nos churrascos, ninguém fica mais do que 5 minutos só conversando. Americano é muito ativo e está sempre inventando algo para fazer. Sempre tem algum jogo rolando e o mais comum deles em churrascos ,é o “Beer-Pong”, onde coloca-se copos de plástico cheios de cerveja fazendo um triangulo de cada lado da mesa e dois grupos tentam acertar uma bolinha de ping-pong no copo. Se acertar o outro time tem que beber. Ganha quem acertar todos os copos primeiro.

-  Em San Diego, a maneira com que as mulheres dançam juntas nas boates, faz qualquer baile funk parecer convento! E sim, os homens são mais lentos para tomar atitude e te chamam para jantar umas 10x antes de dar o próximo passo. Por outro lado, são extremamente atenciosos, respeitosos, carinhosos. Príncipes!

-   Em San Diego, os restaurantes fecham as 10pm e as boates as 2am. As pessoas bebem muito e não se surpreenda ao ver gente caindo no chão, literalmente. Se você estiver muito bêbado, os seguranças te põe para fora da boate. Ninguém dirige bêbado. A noite você só vê taxi e carro de polícia nas ruas.

- Em San Diego, a maioria das pessoas divide aluguel de apartamento com alguém. Casas são muito caras. E apartamento significa um prédio com 2 ou 3 andares. Não existem prédios altos, a não ser no centro da cidade. A maioria dos apartamentos proíbem animais de estimação, mas todo mundo aqui tem cachorro! Não sei como. Os cachorros são tratados como gente. Não podem ficar em casa sozinhos por mais de 4-5hs, são super paparicados e protegidos e a vida do dono gira em torno do cachorro. As pessoas levam o cachorro para passear de 2-3x por dia, mesmo tendo quintal em casa. Todo mundo leva seus cachorros para serem treinados por um profissional, ninguém sabe treinar o cachorro sozinho. Existem muitos parques e praias para cachorros, com bebedouro para cachorro, saquinhos de lixo para coletar dejetos, etc.

-   Em San Diego, ninguém vai ao banco. Está sempre vazio e os funcionários me chamam pelo nome quando eu entro!

-   Em San Diego, os bares tem várias televisões, passando todos os esportes imagináveis, menos futebol (soccer).

-   Em San Diego,  as pessoas cantam “parabéns pra você” em tom de velório, não gritam e não batem palma.

Essas são algumas diferenças que chamaram a minha atenção. Acredito que não existe certo ou errado, melhor ou pior, são apenas diferenças culturais. Tenho orgulho de ser brasileira e mantenho nossas tradições. Mas San Diego só tem me dado alegrias, com uma qualidade de vida indescritível. Como diria Lulu Santos, “na Califórnia é diferente, irmão, é muito mais do que um sonho”.

Com certeza esqueci de alguma coisa. Alguém tem algo a acrescentar?

Love, Patflor